Sinto muito senhores, mas agora nós vamos brigar

Sinto muito senhores, mas agora nós vamos brigar

 

          A ideia de segurança é algo tão relativo quanto os acidentes. Relativo a que ou a quem exatamente? Pois bem, no momento eu me pergunto, como pude sair correndo de dois assaltantes e sem saber se estavam armados? Naquele instante agi institivamente, no meu senso de indiginação fazia todo  o sentido enfrentar a situação de maneira a não aceitar o fato de não poder caminhar tranquilamente às 22:30 até a porta de minha casa, sem precisar entrar em disparada ao ouvir o grito “assalto, assalto.”

            Eu corri, minha forma física me permitiu tentar escapar, minha intenção era me livrar da mochila que era o alvo. Eram dois sujeitos que fediam muito, não esquecerei deste cheiro tão cedo, o primeiro tinha baixa estatura enquanto eu corria ele me perseguia até que segurou na gola de minha camisa me desequilibrando. Fui ao chão, rolei batendo com o rosto sobre o asfalto durante este giro mas sem largar minha mochila que era segura com o meu braço direito enquanto eu levava pontapés permanecia com as costas no solo.

            Os segundos não passavam, meu braço ainda segurava minha mochila até que ela rasgou, eu gritei socorro porem não me recordo, continuava a apanhar e com algum sucesso acertava um deles com chutes/golpes limitados pela minha posição desconfortável. Eu disse que não tinha dinheiro somente material de estudo neste momento havia um homem observando, ele assobiava pra chamar a atenção dos assaltantes. Enquanto isso devido a minha resistência eles ficavam impacientes e tentaram puxar minha aliança e meu celular, eu impedi.

            Eles desistiram. Acredito que devido as testemunhas e se foram me xingando e dizendo que me dariam um  tiro...

            Neste momento eu os chamei de covardes e me levantei, meu corpo doía todo mas minha dignidade estava intocada, a das instituições não. Chamei a polícia sem muitas esperanças e quando a viatura chegou dei a descrição dos assaltantes. Em um momento da conversa o policial foi categórico afirmando que o B.O somente serviria para estatísticas e o pior é que ele está certo.

            Nosso país  vive uma crise institucional silenciosa, o estado é pouco eficiente, para com sí próprio e para com a população. Aqueles assaltantes são filhos de uma sociedade egoísta, injusta, de uma política corrupta, onde o sujeito vale o quanto tem e se considera louvável a esperteza daqueles sem caráter e ainda assistimos na mídia escândalos e mais escândalos como se fossem coisas normais. Pois eu digo que não é normal, sou do contra, acredito na ética, que é certo fazer o certo. Sinto muito senhores, mas agora nós vamos brigar.

 

Jos

 

 

Netbooks/Notebooks a partir de R$799